Menu
 
 
8) Grupos em formação - oitava reunião

8º Encontro - ACOLHIDA E ORAÇÃO INICIAL (para todos os dias ........................................................................................................................................................................ Animador: "OLHANDO PARA A VIDA" - Vamos ler esse testemunho de uma pessoa contando como começou usar drogas e como era o seu comportamento diante dos pais. TESTEMUNHO, DADO POR UM DEPENDENTE EM RECUPERAÇÃO, PARA UMA ENTREVISTA PUBLICADA NO LIVRO “O AMOR É MAIOR QUE TUDO”. ........................................................................................................................................................................ Animador: 1) Fale um pouco sobre o que leva um jovem a começar a usar droga. ........................................................................................................................................................................ Leitor 1: Muitas coisas, problemas familiares, emocionais, namoro, complexos, curiosidades, influência, mas a principal coisa que leva hoje o jovem a usar drogas é a falta de amor que os jovens sentem por eles mesmos, pois as drogas nada mais são do que uma das diversas formas que encontramos para fugir das adversidades da vida. ........................................................................................................................................................................ Animador: 2) Você usou que tipo de droga? ........................................................................................................................................................................ Leitor 2: Comecei aos 11 anos com o cigarro, aos 12 anos a cerveja e vinho, aos 13 anos já estava no chamado círculo vicioso das drogas: cola; solventes; gasolina; maconha; comprimidos calmantes e inibidores de apetite. Então, veio a cocaína e, depois, me apeguei ao crack. ........................................................................................................................................................................ Animador: 3) O que você sentia quando estava sob o efeito da droga? ........................................................................................................................................................................ Leitor 3: Cada droga te traz uma reação diferente, mas todas me faziam temporariamente sair do “mundo real” e viver no “mundo da fantasia destrutiva”, esquecia tudo: complexos, frustrações e achava que quando estava “psico” era o “cara”. Podia tudo, fazia tudo, mas era só uma ilusão da minha cabeça. ........................................................................................................................................................................ Animador: 4) E depois que passava o efeito, como você ficava? ........................................................................................................................................................................ Leitor 4: Sentia uma grande depressão, pois, quando voltava da paranóia das drogas, meus problemas e complexos continuavam lá e eu mesmo aumentava eles, gastando o meu dinheiro, detonando a minha vida e também a vida dos que me amavam; aí, por muitas e muitas vezes, pensava no suicídio que era a melhor forma de acabar com aquilo tudo. Dentro de mim, sabia que estava faltando algo, mas não sabia o que era. ........................................................................................................................................................................ Animador: 5) Quanto tempo você usou e como conseguia disfarçar o uso da droga diante de seus pais? ........................................................................................................................................................................ Leitor 1: Quando tinha cerca de 12 anos, meus pais sabiam que eu bebia umas e outras e, quando saía “p’ras baladas”, voltava sempre de madrugada, eles já estavam dormindo e o que ajudou a enganar eles era a falta de conhecimento que eles tinham sobre as drogas e seus efeitos, pois como é que eles iriam desconfiar de mim todas as vezes que eu chegava sem fome, com os olhos estralados e falando com dificuldades, se não sabiam como era a cocaína (se era pó, folha ou comprimido)? E assim fui, durante vários anos, enganando eles. ........................................................................................................................................................................ Animador: 6) Quando eles realmente ficaram sabendo e começaram a te “vigiar” diante de seus “amigos”, o que você pensou e como agiu? ........................................................................................................................................................................ Leitor 2: Como disse, eles não sabiam lidar com a minha doença, quando me proibiam de sair, arrumava “mil” manipulações para conseguir sair. Arrumar dinheiro e me “gabar na banca”, dizendo “como são otários meus pais”. Hoje, só de pensar nisso, me dá uma grande dor no coração. ........................................................................................................................................................................ Animador: 7) Quanto ao tratamento, o que realmente fez você tomar a decisão de parar com o uso de drogas? ........................................................................................................................................................................ Leitor 3: Quando cheguei ao “fundo da fossa”, e digo “fossa” porque o dependente que se prejudicou por causa das drogas diz: “cheguei ao fundo do poço” e no poço encontramos água e um pouco de lama. Eu estava literalmente atolado em fezes e vi que não tinha mais nada, troquei tudo pelas malditas drogas, bens materiais, família, amigos verdadeiros, mulher, minha maior jóia: minha filha, dignidade moral, amor próprio. As drogas entraram na minha vida como uma verdadeira “locomotiva, destruindo tudo o que vinha pela frente, onde eu era o maquinista”. Aí um dia resolvi que não aguentava mais isso, estava sozinho, triste, sujo, faminto, sentei na praça e comecei a conversar com “alguém” numa noite fria e contar tudo isso. Esse “alguém” me disse dentro do meu coração que ele queria me ajudar, só dependia de mim. Esse “alguém” era JESUS. Aí quebrei meu orgulho e pedi para meu pai arrumar uma clínica de recuperação para mim, assim me internei e conheci o verdadeiro valor que tenho. ........................................................................................................................................................................ Animador: 8) Quando você sentia a falta da droga em seu organismo, como conseguia superar essa vontade? ........................................................................................................................................................................ Leitor 4: Através da internação, aprendi a me valorizar e a driblar as compulsões, praticando esportes, lendo livros, principalmente a Bíblia e o essencial: orando, pedindo ajuda a Deus, a Jesus, a Nossa Senhora, para que eles viessem em auxílio às minhas fraquezas, como fez Jesus, em Mt 26-39 e Mc 14-36. Pense da seguinte maneira: temos dentro de nós 2 (dois) rotweilers, um bom e um ruim e, de repente, os dois começam a brigar, é mordida de lá e dentada de cá. Qual dos dois vocês acham que vai vencer? Depende de qual você vai alimentar! Se eu alimentar a minha vontade, naquele momento, com certeza não vou superar a compulsão, mas se pedir forças para Jesus e distrair meus pensamentos, vou vencer a cada momento. ........................................................................................................................................................................ Animador: 9) Seus pais te ajudaram como? ........................................................................................................................................................................ Leitor 1: Frequentando o grupo de apoio do Amor Exigente e Narcóticos Anônimos, indo em palestras e estando em sintonia com Deus, indo às missas. Meus pais me ajudavam assim e também me incentivando nos esportes, me mostrando quanto me amavam e, principalmente, “aplicando” aquilo que aprendiam nas reuniões. Eles também foram conscientizados a mudar de “vida”, hábitos e atitudes. ........................................................................................................................................................................ Animador: 10) E os amigos da sua família, também ajudaram você? ........................................................................................................................................................................ Leitor 2: Sim, me apoiando na minha caminhada com Deus, se disponibilizando a partilhar comigo nas horas que eu quisesse ou que estivesse com dificuldades, me ajudando no que fosse possível, alguns também frequentavam as reuniões para aprender a agir comigo e com os outros “irmãos” que tinham o mesmo problema. ........................................................................................................................................................................ Animador: 11) O que você considera mais importante e que mais te ajudou a sair dessa situação? ........................................................................................................................................................................ Leitor 3: O mais importante p’ra mim é a vida, a minha vida, e o que me ajudou a sair das drogas e me mantém “só por hoje” de pé é o maravilhoso Deus que todos nós temos, independente de cor, raça ou credo. Ele sempre estará aí para nos tornar vencedores. Em segundo lugar, força de vontade, muita força de vontade. ........................................................................................................................................................................ Animador: 12) Hoje como você se sente em relação à droga? ........................................................................................................................................................................ Leitor 4: Sou um doente, essa doença é pelo resto da vida; por isso sei que não posso mais me envolver com ela - “essa maldita” destruidora que, a princípio, se mostra inofensiva e que cabe na palma da mão, mas que, quando consumida, não consigo dominá-la. Hoje sirvo a um Deus grande e poderoso que me preenche por inteiro com seu amor, e só por hoje não sou mais escravo das drogas, como fui por 12 (doze) anos. ........................................................................................................................................................................ Animador: 13) Você e Deus. Fale alguma coisa. ........................................................................................................................................................................ Leitor 1: Bom, acho que já falei muito de mim. Jesus é tudo p’ra mim hoje e tudo que preciso para não mais usar drogas e nem para levar uma droga de vida, pois muitas vezes somos escravos dos nossos vícios. Vaidade, trabalho, dinheiro, materialismo, egocentrismo, poder, manias, etc. Peço a cada dia que Jesus me ensine a amar mais o meu próximo e me dedicar ao caminho dele, estendendo todos os dedos de minha mão para que meu próximo possa segurá-la e também sair desse buraco que são as drogas, ao invés de apontá-lo, julgá-lo e condená-lo. Não posso dizer que amo Deus que não vejo, se não amo meu irmão que vejo e é feito à imagem e semelhança do nosso Criador. Só venceremos as drogas com uma overdose de amor! Tudo que aprendo não é para ser ensinado e sim para ser vivido, pois vivendo aquilo que aprendo, já estou ensinando àqueles que não querem aprender. Não se esqueça! JESUS TE AMA! Obrigado, Senhor! Alex de Jesus (nome fictício). ........................................................................................................................................................................ Animador: PARTILHA: Conhecemos casos parecidos com esse testemunho? O que podemos fazer para conversar com nossos familiares? Somos amigos uns dos outros em nossa casa? ........................................................................................................................................................................ GESTO CONCRETO - Proposta para o mês: Dar um abraço nas pessoas da família, e fazer uma declaração dizendo que a ama, e quer partilhar juntos, as coisas da vida. ........................................................................................................................................................................ ORAÇÃO FINAL(todos os encontros): OS DEZ MANDAMENTOS DA SERENIDADE

 
 
 
O AMOR É MAIOR QUE TUDO
Rua Argentina 395 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SP
Fone 17.3225.2731 - E-mail: adair@oamoremaiorquetudo.com.br
 
 
Design & Hosting: Maxmedia Internet